De Pelo Arrepiado

Os Reis do Fandango

Compositor: Dionísio Clarindo da Costa / Luiz Carlos Lanfredi / Vanclei Da Rocha

Gosto de festa num estilo bem campeiro
Tendo um resmungo de gaita to no meio do entreveiro
Não tenho luxo sesteio até na macega
Sou um amigo por inteiro, mas o que é meu ninguém pega
Se vou pra farra não saio atrás de lambança
Só quero arrastar a sola entreverado na dança
Mas me dá nojo desses do tipo indecente
Com cara de cusco magro chulendo o charque da gente

Tu erra o pulo tira o zóio do meu osso
Que eu to de pelo arrepiado te dou um taio no pescoço
Não custa nada te da uns quatro ou cinco tombo
E os vergão do meu rebenque vão avermeiá teu lombo

Eu sou seguro tenho confiança no taco
Respeito a mulher dos outros mesmo que ela seja um caco
Mas tem vivente que ta sempre na tentiada
Não respeita a parceira louco pra da uma dentada
Que coisa feia mas que baita desaforo
Facilita bochincheiro que eu amarroto teu couro
Te sento o braço num tapão a moda antiga
Saio sacudindo a crina só se escutando cantiga

Tu erra o pulo tira o zóio do meu osso
Que eu to de pelo arrepiado te dou um taio no pescoço
Não custa nada te da uns quatro ou cinco tombo
E os vergão do meu rebenque vão avermeiá teu lombo

©2003- 2018 lyrics.com.br · Aviso Legal · Política de Privacidade · Fale Conosco desenvolvido por Studio Sol Comunicação Digital